Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em Português


La abdicación de Benedicto XVI: Saramago sólo podía contar por qué

Miércoles, 13.02.13

Roberto Casalini e Alberto Grandi, do blogue Resident Reader, da revista Wired italiana, comentam a abdicação de Bento XVI: Saramago "seria a pena mais adequada para contar uma história onde público e privado estão interligados". O texto traduzido:

"Só um autor poderia interpretar a demissão do Papa, um gesto de alcance histórico mas que vem do mais profundo privado. Pensei imediatamente no Evangelho Segundo Jesus Cristo. Eis porquê:

A demissão do Papa tem um potencial narrativo notável. Não foi por acaso que, profeticamente, Nanni Moretti tratou o tema no filme Habemus Papam [Temos Papa], exibido nas salas em 2011. Não creio que Moretti imaginasse que a sua história podia acontecer na vida real. No filme, descrevi a crise individual de um homem que não se revia no seu papel de pontífice, e na instituição da Igreja que encontrou.

 

Hoje, Bento XVI faz um gesto inovador e surpreendente. Inovador porque a última vez que um pontífice abdicou foi há 600 anos. A abdicação, portanto, não é um gesto antigo mas sim fora do tempo e está fora do leque de actos, certos ou errados, expectáveis no seu pontificado. Nesse sentido, pode falar-se de um gesto inovador, que quebra um hábito. É surpreendente porque, mais uma vez, ninguém esperava. Mas a abdicação de Ratzinger é acima de tudo um gesto humano causado pela vulnerabilidade, a fraqueza, e porque é profundamente privado.

Pensei em dois autores, logo que li a notícia, esta manhã: Lous Ferdinand Céline e José Saramago. O primeiro por uma frase lida na sua Viagem ao fim da noite que me disse muito: "Tudo o que é interessante acontece na sombra. Não se sabe nada sobre a verdadeira história dos homens”. Podemos ter uma ideia sobre o porquê de Ratzinger ter optado por abdicar (o escândalo do IOR [o banco do Vaticano], o escândalo da pedofilia, a saúde precária, o difícil convívio com os cardeais) mas a sua decisão, em última instância, permanece privada, presa no seu íntimo, num diálogo que teve com ele mesmo, com a sua sombra, podemos perguntar, com Deus? Mas não o do Angelus de São Pedro, das declarações exaustivas sobre a oposição da Igreja Católica às uniões de facto e à homossexualidade; não o deus histórico e institucional, mas um Deus muito mais difícil de alcançar, talvez impossível de divulgar, porque totalmente privado. Um Deus que só pode ser falado quando é material (passe o termo) para poetas e romancistas, não para cardeais que fazem declarações calculadas, pesando as implicações políticas, as prováveis repercussões na opinião pública.

José Saramago veio-me à mente porque, na minha opinião, o autor do Evangelho segundo Jesus Cristo, onde Jesus era descrito como um homem que não se reconhecia num Deus Pai carrasco e sanguinário, seria a pena mais adequada para contar uma história onde público e privado estão interligados. Próximos e distantes dentro do mesmo homem.

Se o Papa é um representante de Deus, a partir das 20 horas de sexta-feira 28 de fevereiro – hora e data previstas para a abdicação – ficaremos sem Deus. Temporariamente, apenas. Ficaremos sós. Cada um com o Deus-sombra, privado, sem representante nem assessores de imprensa. Será isso uma coisa terrível?

 

<a href="http://blog.wired.it/residentreader/2013/02/11/bendetto-xvi-ci-vorrebbe-saramago-per-raccontare-il-perche-della-sua-abdicazione.html"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago





Destacados

Ver todas las noticias

Amigos de la Fundación José Saramago


Librería/Tienda de la Fundación José Saramago


Además


Sonidos de la Fundación


Blimunda


Serviço educativo



La Fundación
Somos lo que dice el documento José Saramago firmado en Lisboa el 29 de junio de 2007. Somos la Fundación José Saramago.
Más información | E-mail

Buscar

Pesquisar no Blog  

La Casa dos Bicos

La Casa dos Bicos, edificio del siglo XVI situado en la calle Bacalhoeiros, Lisboa, es el hogar de la Fundación José Saramago.

La Casa dos Bicos se puede visitar de lunes a sábado de 10h a las 18h (última entrada a las 17h30m).
Leer más


A Casa José Saramago en Lanzarote

La casa hecha de libros se puede visitar de lunes a sábado de 10h a las 14h30. También se puede caminar virtualmente, aquí.

Reciba nuestro boletín de noticias


#saramago no Twitter



Archivo mensual

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

TripAdvisor

Parceiros institucionais:

Parceiro tecnológico:

Granta