Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em Português


"Y ahora?" - pregunta Mário Soares

Miércoles, 06.03.13

A manifestação de sábado passado que envolveu quarenta cidades portuguesas e ainda alguns dos nossos emigrantes de França, de Inglaterra e de Espanha, teve como resposta o silêncio total do Governo e da Troika. Foi o melhor que fizeram. Ficaram escondidos e sem palavras. Tudo o que dissessem só agravaria a situação. Porque o “Povo é quem mais ordena”. E o Governo perdeu a legitimidade democrática, porque não tem sensibilidade quanto aos que sofrem e não ouve ninguém.

De resto, o Governo, raramente diz o que faz, nunca definiu uma estratégia clara para combater a crise e nunca se deu ao trabalho de explicar aos portugueses porque insiste na austeridade, que só nos conduziu à desgraça. É a palavra.
O Governo continua alegremente a roubar as pensões dos portugueses, que nunca pertenceram ao Estado, nem muito menos ao Governo, dado que anos a fio os portugueses descontaram para garantir o seu futuro e dos seus filhos. Não falando nos impostos, a aumentarem sempre, as vendas a retalho – como? E porquê? – do nosso património.
Que tem isto – e tantas outras pseudo-reformas – a ver com a Democracia? Claro que nada.
Por isso, este Governo não é legítimo nem democrata. Pelo contrário, está contra o Povo, é inimigo dos pobres, está a destruir a classe média, acha que as melhoras cabeças, saídas das nossas excelentes Universidades (que aliás o Governo está a pôr em dificuldades) devem emigrar.
É um Governo que está a destruir Portugal, ignorando a Democracia, visto que não dialoga nem ouve o Povo. Por isso se tornou ilegítimo. Só sai à rua, rodeado de seguranças. Dos militares aos médicos, dos sindicalistas aos professores, dos intelectuais aos mais pobres, todas as classes -  até os mais abonados – estão contra o Governo, com a única exceção dos “papagaios” que o servem e se servem.
O Governo tem de demitir-se. Esta é a boa oportunidade para o fazer, antes que o Tribunal Constitucional se pronuncie, os portugueses se enfureçam e a Democracia desapareça, porque os Partidos também estão todos a ser criticados. Porque se não for a bem – enquanto o “Povo é sereno” – será a mal, com o Povo indignado, como sucedeu no fim da Monarquia…
Mário Soares
(in jornal Público no dia 4 de março de 2013)
Foto: Tiago Miranda/Expresso

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago





Destacados

Ver todas las noticias

Amigos de la Fundación José Saramago


Librería/Tienda de la Fundación José Saramago


Además


Sonidos de la Fundación


Blimunda


Serviço educativo



La Fundación
Somos lo que dice el documento José Saramago firmado en Lisboa el 29 de junio de 2007. Somos la Fundación José Saramago.
Más información | E-mail

Buscar

Pesquisar no Blog  

La Casa dos Bicos

La Casa dos Bicos, edificio del siglo XVI situado en la calle Bacalhoeiros, Lisboa, es el hogar de la Fundación José Saramago.

La Casa dos Bicos se puede visitar de lunes a sábado de 10h a las 18h (última entrada a las 17h30m).
Leer más


A Casa José Saramago en Lanzarote

La casa hecha de libros se puede visitar de lunes a sábado de 10h a las 14h30. También se puede caminar virtualmente, aquí.

Reciba nuestro boletín de noticias


#saramago no Twitter



Archivo mensual

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

TripAdvisor

Parceiros institucionais:

Parceiro tecnológico:

Granta