Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em Português


Dia da Livraria e do Livreiro

Jueves, 28.11.13

(Jorge Silva/Silvadesigners)

No dia 30 visite, pelo menos, uma livraria. 

É o Dia da Livraria e do Livreiro

uma parceria do Encontro Livreiro e da Fundação José Saramago  

No Porto, Setúbal, Vila Real, Angra do Heroísmo e Lisboa estão já previstas iniciativas para festejar o Dia da Livraria e do Livreiro, uma iniciativa que pela segunda vez se concretiza em Portugal e que continua a registar novas adesões. Sessões de contos, cantares de Natal, surpresas várias estão em preparação.


Para acompanhar as informações que a cada momento se vão somando, consulte o blog: http://diadalivrariaedolivreiro.wordpress.com


O Dia da Livraria e do Livreiro, que assinala a data da morte de Fernando Pessoa (1935) e de Fernando Assis Pacheco (1995) – que morreu numa livraria de Lisboa – tem este ano a segunda edição, numa parceria do movimento Encontro Livreiro com a Fundação José Saramago.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago

Nuno Júdice recibió en Madrid el Premio Reina Sofía de Poesía Iberoamericana

Miércoles, 27.11.13

A poesia portuguesa está em festa. Nuno Júdice recebeu no dia 27 de novembro, no Palácio Real de Madrid, o Prémio Rainha Sofia de Poesia Iberoamericana, o maior galardão da poesia do universo das letras de língua portuguesa e espanhola.

Este prémio foi instituído em 1992 pela Universidade de Salamanca e pelo Património Nacional de Espanha com o objetivo de distinguir o conjunto da obra poética de um autor vivo que, pelo seu valor literário, constitua uma contribuição relevante para o património cultural comum ao universo iberoamericano.

Nuno Júdice, que é curador da Fundação José Saramago, junta-se assim a um grupo de poetas de exceção, entre os quais Sophia de Mello Breyner, João Cabral de Melo Neto, José Hierro, Álvaro Mutis, Mario Benedetti e o galardoado do ano passado, Ernesto Cardenal.

Na cerimónia usarão da palavra José Rodríguez-Spiteri, presidente do Patrimonio Nacional, Daniel Hernández Ruipérez, reitor da Universidade de Salamanca. Esther Martínez Quinteiro lerá a ata do júri e Nuno Júdice vai fazer uma alocução de cerca de 15 minutos. O poeta Jaime Siles fará uma evocação do poeta colombiano Alvaro Mutis, que morreu aos 90 anos no passado dia 23 de setembro.

O júri do Prémio foi constituído por 18 personalidades iberoamericanas das áreas da filologia, da literatura e do ensaio literário, que elogiou a poesia muito elaborada, de um classicismo depurado e com um grande compromisso com a realidade de Nuno Júdice.

Nuno Júdice, 64 anos, nascido na Mexilhoeira Grande (Algarve) acaba de publicar um novo livro de poesia, "Navegação de acaso". "A Noção do poema e o pavão sonoro" foi o primeiro livro que lançou, em 1972, e desde então já se seguiram outros 30 volumes. É também autor de obras de ensaio, teatro e ficção, tendo publicado ja em 2013 "Implosão", uma crítica à situação atual do país.
Além do universo hispânico, está traduzido em Itália, Reino Unido e França.

Formado em Filologia Românica pela Universidade Clássica de Lisboa, é professor associado da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em 1989.

Entre 1997 e 2004, foi conselheiro cultural e director do Instituto Camões em Paris. Até 1999, dirigiu a revista Tabacaria, da Casa Fernando Pessoa. Em 2009, assumiu a direcção da revista Colóquio/Letras da Fundação Calouste Gulbenkian.

O escritor recebeu vários prémios literários, nomeadamente o Prémio Pen Clube, em 1985, o Dom Dinis, em 1990, o da Associação Portuguesa de Escritores, em 1995, e o Prémio Fernando Namora, em 2004.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago

Esperanza Fernández lleva José Saramago al flamenco - disco y espectáculo en Madrid

Martes, 26.11.13
Flamenco y literatura siguen demostrando su afinidad. Lorca, Machado, Alberti o Miguel Hernández ya han sido cantados a compás. Y Esperanza Fernández lleva ahora su mirada un poco más allá, para fijarse en el portugués Saramago. La cantaora sevillana traduce a cante flamenco la poesía del Premio Nobel de Literatura, dando lugar al disco 'Mi voz en tu palabra'. Dorantes es el director musical de la obra, pianista y compositor que ya llevó al terreno de lo jondo los textos de Gabriel García Márquez para la voz de Lebrijano. 'A ti regreso mar', 'Alzo una rosa' o 'En esta esquina del tiempo' son algunos de los temas que componen el trabajo, que cuenta con el plácet de Pilar del Río, mujer del escritor portugués. Para el libreto ha escrito que “ahora sabemos que José Saramago suena en flamenco con tanto duende y compás como Esperanza Fernández se crece en poeta al cantar”. El álbum, en el que también han participado como compositores José Miguel Évora y Luis Pastor, se presenta en directo el 26 de noviembre de 2013 en el Teatro Fernán Gómez de Madrid, en el marco de la IX Mostra Portuguesa.
El disco se presentará como espectáculo. La versión en vivo de 'Mi voz en tu palabra' se estrena dentro de la programación de la IX Mostra Portuguesa el 26 de noviembre de 2013 en el Teatro Fernán Gómez de Madrid. La cantaora contará, según anuncia el cartel, con las guitarras de Miguel Ángel Cortés y Eduardo Trassierra, el contrabajo de Yelsi Heredia, las voces de Ismael de la Rosa, percusión, palmas y coros de Jorge Aguilar y José Fernández, y la colaboración al baile de Sonia Olla. La propuesta se sumará al amplio repertorio en directo de la artista, en cuya trayectoria destacan, además de sus recitales de cante tradicional, títulos como 'En clave de 6' junto a Javier Barón, 'Cuatro guitarras y una voz' o 'El amor brujo' con orquesta.


Pilar del Río escribió sobre esta obra de Esperanza Fernández:

La voz más honda para los poemas más suaves
Suele ocurrir que la poesía nazca para ser leída en silencio, tal vez con pausas no marcadas en el poema aunque exigidas por la sensibilidad del lector, impelido a cerrar los ojos o mirar al infinito de una pared o al paisaje que se abre bajo las pinceladas de un cuadro. La poesía es caprichosa, unas veces fortalece el alma, otras se empeña en medir la humana dimensión o la consistencia de los sueños. Alguna rara vez, y este es el caso, demanda una voz que la ponga en el aire. Esperanza Fernández recogió el reto que al escribir lanzó José Saramago y, junto a grandes creadores, grabó con la voz más honda del flamenco los poemas suaves del escritor portugués.
La armonía se hizo posible y ahora sabemos que José Saramago suena en flamenco con tanto duende y compás como Esperanza Fernández se crece en poeta al cantar. Un disco feliz para oír como se lee poesía: cerrando los ojos, mirando al infinito de una pared o al paisaje que se abre bajo las pinceladas de un cuadro. 
Esperanza Fernández y José Saramago, un dueto inesperado que destierra sombras y pone belleza en la tierra de todos, nuestra íntima tierra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago

Alexandra Lucas Coelho, Grande Prémio APE!

Martes, 26.11.13

O romance "E a Noite Roda" de Alexandra Lucas Coelho, das edições Tinta da China, ganhou o Grande Prémio de Romance e Novela APE (Associação portuguesa de Escritores)/ Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas 2012. O júri, constituído por José Correia Tavares, Ana Marques Gastão, Clara Rocha, Isabel Cristina Rodrigues, Luís Mourão e Manuel Gusmão, decidiu por unanimidade atribuir o grande prémio a Alexandra Lucas Coelho, numa escolha que tinha também como finalistas "O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel", de Mário de Carvalho, "Jesus Cristo Bebia Cerveja", de Afonso Cruz, A" Rapariga Sem Carne", de Jaime Rocha, e "O Banquete", de Patrícia Portela. Em declarações ao Público, a autora premiada revelou que está a escrever um romance inteiramente passado no Rio de Janeiro, com o título "Deus Dará". Na mesma editora, a escritora e jornalista publicou já "Caderno Afegão" (2009), "Viva México" (2010), "Tahrir!" (2011) e "Vai, Brasil" (2013). "Oriente Próximo" foi o primeiro livro que publicou, em 2007 na Relógio D’Água.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago

Ensayista Eduardo Lourenço gaña Prémio Jacinto Prado Coelho

Miércoles, 20.11.13

O ensaísta Eduardo Lourenço venceu o prémio Jacinto do Prado Coelho pela obra "Tempo da música. Música do tempo", revelou hoje à Lusa fonte do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários.

O prémio, no valor de cinco mil euros e que distingue ensaios literários, foi atribuído por unanimidade a Eduardo Lourenço, por uma obra, publicada em 2012, que reúne textos inéditos de Eduardo Lourenço seleccionados pela historiadora de arte e musicóloga Barbara Aniello.

O júri, composto por Clara Rocha, Maria João Reynaud e Teresa Martins Marques, justificou a escolha pela "qualidade indiscutível da obra, reconhecida por pessoas da área da literatura bem como da musicologia".

O prémio será entregue na quinta-feira, às 18h30, na Sociedade Portuguesa de Autores, em Lisboa.

"Tempo da música. Música do tempo" reúne 212 reflexões (datadas entre 1948 e 2006) de Eduardo Lourenço sobre música, que estavam dispersas em folhas avulsas, em agendas de bolso, páginas soltas ou agrafadas, algumas encontradas dentro de livros, que Barbara Aniello foi juntando, inventariando e catalogando no espólio do ensaísta.

Numa reflexão, Eduardo Lourenço escreveu: "Certamente se um dia voltar para Deus, a nenhuma outra coisa o deverei senão a estas estradas de uma melancolia lancinante que, desde o canto gregoriano até Messiaen, devoram em mim o sentimento da realidade do mundo visível".

 

Foto: Nelson Garrido/Público

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago

Blimunda # 18, novembro 2013

Martes, 19.11.13

Descarregar Blimunda # 18 português (pdf)

No mês dos 91 anos de José Saramago, a Blimunda traz com ela duas entrevistas de Sara Figueiredo Costa a dois dos jovens autores mais promissores em língua portuguesa: Afonso Cruz e Ondjaki. O primeiro acaba de lançar o seu novo romance Para onde vão os guarda-chuvas (ed. Alfaguara), o segundo, Ondjaki, que acaba de ser distinguido com o Prémio Literário José Saramago, atribuído pela Fundação Círculo de Leitores, pelo romance Os Transparentes(Ed. Caminho).

Em estreia nas páginas da Blimunda, Jeronimo Pizarro traz-nos um texto sobre literatura de viagens, com passagens por Pessoa, Camilo Pessanha ou Dinis Machado.

No infantil e juvenil, destaque para os 130 anos que a Biblioteca de São Lázaro, em Lisboa, está a comemorar, partindo do texto absolutamente atual de Feio Terenas, o primeiro bibliotecário da rede de Bibliotecas de Lisboa. Presente também nas páginas desta secção a recente edição portuguesa de Como Apanhar uma Estrela, de Oliver Jeffers, pela Orfeu Negro.

Quase a terminar, o centenário de Camus não é esquecido, através de um texto de Juan José Tamayo, que integra a sua obra Cincuenta intectuales para una conciencia crítica, publicada em Barcelona pela Fragmenta. E como dos 91 anos de José Saramago se trata, a Blimunda entrou nos arquivos da Biblioteca que leva o nome do autor e descobriu as dedicatórias que outros escritores deixaram gravadas em livros que ocupam as prateleiras daquele magnífico espaço. Um trabalho de arqueologia literária que terá continuidade no próximo número da Blimunda.

A terminar uma nota para a capa desta edição, que apresenta algunas mudanças gráficas permitindo um contacto mais rápido com os temas que preenchem as suas páginas. Para janeiro, outras mudanças se anunciam.

A todos, boas leituras!

Blimunda N.º 18 - novembro 2013 by Fundação José Saramago

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Fundación Saramago


Pág. 1/6





Destacados

Ver todas las noticias

Amigos de la Fundación José Saramago


Librería/Tienda de la Fundación José Saramago


Además


Sonidos de la Fundación


Blimunda


Serviço educativo



La Fundación
Somos lo que dice el documento José Saramago firmado en Lisboa el 29 de junio de 2007. Somos la Fundación José Saramago.
Más información | E-mail

Buscar

Pesquisar no Blog  

La Casa dos Bicos

La Casa dos Bicos, edificio del siglo XVI situado en la calle Bacalhoeiros, Lisboa, es el hogar de la Fundación José Saramago.

La Casa dos Bicos se puede visitar de lunes a sábado de 10h a las 18h (última entrada a las 17h30m).
Leer más


A Casa José Saramago en Lanzarote

La casa hecha de libros se puede visitar de lunes a sábado de 10h a las 14h30. También se puede caminar virtualmente, aquí.

Reciba nuestro boletín de noticias


#saramago no Twitter



Archivo mensual

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

TripAdvisor

Parceiros institucionais:

Parceiro tecnológico:

Granta